terça-feira, 17 de novembro de 2015

O mundo está louco





Nos últimos dias esta imagem é o que melhor pode descrever os meus pensamentos. Não vou falar do que se passou em Paris, lamento muito pelo que passou, mas acho que já houve bastante tinta derramada sobre o assunto.

Todos os dias há massacres brutais no mundo, sejam eles perpetrados por fanáticos ou pelo capitalismo selvagem.

Além de um brutal massacre em Beirute, houve também recentemente um brutal desastre ambiental no Brasil que curiosamente (?) a comunicação social passou em branco.

"Foi o "maior desastre ambiental" da história do Brasil. Aconteceu há 12 dias mas os seus efeitos vão-se sentir durante décadas. Alguns são considerados irreversíveis. O rompimento de duas barragens, em Mariana, no Brasil, causou sete mortos, 631 desalojados e 22 pessoas ainda estão dadas como desaparecidas." ( ver notícia aqui)

E, no entanto, a TV só passa notícias sobre Paris...

Há que frisar que o meu coração está com todos os que sofrem... Mas quando vejo que o sentimento de empatia é selectivo, chego à conclusão que a humanidade não desenvolveu realmente essa capacidade... Só importa quando há seres humanos de "primeira" envolvidos... Para isso muito contribui a comunicação social que só passa noticias seleccionadas e mostrando a perspectiva que mais lhe convém. É muito triste que uma grande maioria de pessoas baseie as suas opiniões/conviccções na informação dos media e não pesquise um pouco mais...


Tenho dúvidas, muitas dúvidas sobre a humanidade, que espécie é esta que mata e destrói tudo à sua passagem sem ter sequer remorsos? 

Estou triste pelos que sofrem e porque sei que pouco ou nada posso fazer por este mundo podre e decadente...

"Não há outro inferno para o homem além da estupidez ou da maldade dos seus semelhantes." 
Marquês de Sade

"O mundo não está ameaçado pelas pessoas más, e sim por aquelas que permitem a maldade."
Albert Einstein




2 comentários:

Sónia Martins disse...

Costumo agendar as minhas publicações no blogue e a de amanhã é mesmo sobre a questão do desastre ambiental do Brasil e a importância dada ao acontecimento pela comunicação social. Mas a minha perspectiva é mesmo a que aqui está retratatada, todos os que sofrem merecem a nossa indignação. Pena que haja mortos e sofredores de primeira e de segunda. É muito triste mesmo.

Sinceramente acho que para a humanidade no seu todo não há grande esperança, cabe-nos a nós individualmente tentar ser diferentes.

Sónia

Filipa Silva disse...

Claro que o atentado em Paris foi uma grande tragédia e não consigo sequer começar a imaginar a dor dos familiares das vítimas. Compreendo também que Paris, pela sua proximidade e também pelos inúmeros emigrantes portugueses que alberga toque mais perto do coração dos portugueses.
Agora, dedicar todos os dias 50 % dos noticiários (já nem sabem que peças fazer, que têm que procurar todos os depoimentos individuais que conseguem), excluindo ou diminuindo outros acontecimentos trágicos...
É que esses já não dão audiência!