quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Impacto Zero

Estou a ler este livro e estou a gostar muito. Gosto especialmente porque mostra o esforço e as dúvidas que um cidadão comum e leigo em matéria ambiental tem de enfrentar para não prejudicar o ambiente.Também é muito interessante a reflexão sobre o estilo de vida que levamos actualmente e sensação de felicidade que obtemos de "coisas" que afinal não nos fazem assim tão felizes.

IMPACTO ZERO é um testemunho fascinante de um homem que decidiu viver durante um ano, em plena cidade de Nova Iorque, sem causar impacto no ambiente. Por outras palavras, tentou viver sem produzir lixo, sem poluir a água com toxinas, e sem usar coisas como elevadores, metro, ar condicionado, televisão, produtos embalados, detergentes e papel higiénico.

Não é intenção do autor proclamar aos quatro ventos que todos devemos prescindir de máquinas de lavar e copos de plástico. O que Colin Beavan nos propõe é que nos inspiremos no seu testemunho real e façamos uma reflexão sobre o nosso poder efectivo para ter impacto zero e, quem sabe, salvar o planeta.(in ABC livros)

5 comentários:

Nídia disse...

Eu já o estou a ler uma 2ª vez! :)

O que gosto mais no livro é que ele tem a parte teórica e o blog tem a parte prática.

É realmente muito bom para nos fazer reflectir nas nossas "pequenas" acções do dia-a-dia.

Recomendo a sua leitura e desafio todos a adoptarem pelo menos uma atitude mais ecológica seja deixarem de aceitar sacos plásticos seja deixar de utilizar... papel higiénico! ;)

Boas leituras!

Ana disse...

Olá Nídia,
Tenho de ir visitar o blog dele,se for tão bom como o livro,aconselho vivamente.
Confesso que deixar de utilizar papel higiénico ainda se me afigura algo difícil :)

Bj

Ana disse...

Olá Nídia,
Tenho de ir visitar o blog dele,se for tão bom como o livro,aconselho vivamente.
Confesso que deixar de utilizar papel higiénico ainda se me afigura algo difícil :)

Bj

Guakjas disse...

Bem, depois do texto acima, acho que tenho de ler este livro :P

Deveras interessante...

Beijo

Anónimo disse...

Há um documentário sobre este livro n?