segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Táxi solar


O chamado “táxi solar”, veículo de dois lugares com painéis fotovoltaicos, está prestes a terminar uma volta ao mundo histórica, uma iniciativa destinada a demonstrar a fiabilidade desta tecnologia limpa.

O “táxi solar” é a primeira viatura a percorrer o mundo utilizando apenas energia solar.

Louis Palmer, quem concebeu o projecto, partiu da Suíça a 3 de Julho do ano passado e já percorreu mais de 47 mil quilómetros, atravessando a Europa, Ásia, Austrália, Nova Zelândia e América do Norte.

“Não paguei um cêntimo por gasolina”, salientou Palmer. Além disso, não emitiu um grama de dióxido de carbono. “Desde a partida só perdemos dez dias para fazer uma reparação”, explicou.

O veículo foi construído por técnicos de quatro escolas de engenharia na Suíça, é alimentado a cem por cento por energia solar produzida através dos seus painéis solares - instalados num atrelado de cinco metros de comprimento - ou por electricidade para recarregar as baterias. Neste segundo caso, o equivalente da energia usada é produzido por painéis solares instalados no telhado da Swisscom, perto de Berna, para tornar a operação neutra em emissões. O veículo tem uma autonomia de 400 quilómetros, a uma velocidade de 90 quilómetros/hora.

“Não estou dependente da meteorologia. Pode chover vários dias a fio”, garantiu Palmer.

Uma especificidade do veículo é o seu volante que se desloca na horizontal, o que permite que também o passageiro possa conduzir.

Palmer visitou hoje vários construtores automóveis, com a Peugeot, Renault e Dassault. “Se uma grande marca quiser a ideia, estaremos prontos”, garantiu.

in Ecosfera Público


1 comentário:

Joao disse...

sim realmente é uma ideia mas colocam-se questões como:
quanto custa a reparação deste tipo de carros?
...
mas também só vejo este senão pois pelo o que o artigo diz o carro pode andar mesmo à chuva, pode com longas ditancias (percorreu o mundo inteiro)e a sua velocidade é de um citadino (não estou a ver um carro andar mais de 90km/h numa cidade!)
o que me falta falta saber é quanto custa e quando é que começa a ser produzido em massa!


Só boas ideias mas temos de começar a po-las em prática a nivel mundial (agora com o Obama...pode ser que as energias renovaveis venham "invadir" os nossos paises!

Beijinhos
João