domingo, 24 de fevereiro de 2008

Eólicas e acasos ajudam Portugal a atingir meta europeia de electricidade renovável


Portugal terá chegado ao final de 2007 com mais de 39 por cento de electricidade produzida a partir de fontes renováveis, tal como exige uma directiva comunitária para 2010. Há razões estruturais para isso, mas também circunstanciais.

E ainda resta uma boa distância até à meta de 45 por cento, que o Governo assumiu voluntariamente no ano passado. Segundo dados da Direcção-Geral de Energia e Geologia, as formas limpas de produção eléctrica contribuíram com 40,7 por cento de toda a electricidade consumida no país. Os números são de Novembro, mas o director-geral Miguel Barreto não prevê que mudem substancialmente, quando fecharem as contas do ano todo. O vento é o que está a empurrar as renováveis para a frente em Portugal.

Há já 1737 aerogeradores instalados ou em construção no país. O boom é mundial e está a ter um efeito contraproducente. “Os fabricantes de equipamentos estão com as capacidades produtivas completamente tomadas”,
afirma Álvaro Rodrigues, investigador do Instituto de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial (Inegi).

A electricidade responde por um quinto da energia consumida em Portugal e está a subir. Ironicamente, num dos sectores que mais consomem energia – os transportes – tem acontecido o inverso. Mas a razão é circunstancial: a alta nos combustíveis.

in Ecosfera Público

3 comentários:

Tenos disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
A.M. Campón Cerro disse...

Sem dúvida é um grande passo para as energías renováveis em Portugal. Todo um exemplo para o resto de paises europeus.

Nídia disse...

Exemplo de uma boa iniciativa ecológica, a Eco Tour do André Sardet: http://www.cgd.pt/patrocinios/concertos/eco_tour.htm